A cor é uma das características chave utilizadas para avaliar a qualidade sensorial dos vinhos tintos, sendo fortemente influenciada pelas antocianas. As antocianas monoméricas e os valores da cor CIELAB foram estudados por HPLC-MS (Cromatografia em fase líquida com elevada performance associada à espectrometria de massa) e espectrofotometria durante a fermentação de um vinho tinto Cabernet Sauvignon. Foram efectuadas análises dos compostos principais (PCR), para estabelecer uma relação entre as antocianas detectadas e a cor do vinho. Os resultados permitiram identificar 14 antocianas monoméricas nas amostras de vinho e todas as antocianas apresentavam uma correlação negativa com os valores L*, b* e H* ab, mas positivamente correlacionados com os valores a* e C* ab. Considerando a mesma concentração de cada uma das antocianas detectadas, a cianidina-3-glucósido (Cy3-gglu) foi a que mais influência teve no valor da cor CIELAB, enquanto a malvidina-3-o-glucósido (Mv3-glu) foi a que menos influenciou os resultados. Os valores da cor das diferentes antocianas monoméricas foram influenciados pelas suas estruturas, pelos substituintes do anel B, os grupos acilados do glucósido, assim como a esterificação da estrutura molecular. Este estudo desenvolve um método estatístico para a avaliação da correlação entre a cor do vinho e as antocianas monoméricas e serve de base para a compreensão dos efeitos da pigmentação intramolecular da cor do vinho. Aconselhamos a leitura do texto integral. Título original: “Analyse par régression sur composantes principales de la relation entre la couleur CIELAB et les anthocyanes monomères”