Neste estudo examinámos se a alteração da qualidade do vinho durante a fermentação maloláctica (FML) pode ser identificada por uma sonda gustativa constituída por uma fina membrana lipídica aproveitando as suas propriedades eléctricas. A sonda utilizada era feita de uma membrana de ácido dioctilfenil fosfato hexadecanoico. Após 30 dias, o valor relativo (VR) da sonda deslocou-se de 5 mV para o lado positivo por comparação com o VR em início de FML. Uma modificação de 2 mV é considerada como um limiar de percepção da mudança sensorial por um humano Os resultados deste estudo sugerem que a sonda sensorial pode permitir seguir a evolução da qualidade do vinho durante a FML. Aconselhamos a leitura integral do artigo. Título original: Application of the taste sensor in malo-lactic fermentation