A transmissão de oxigénio através do gargalo de uma garrafa rolhada com rolha de cortiça foi investigada através da utilização de uma técnica manométrica.

Primeiro, o efeito da compressão da rolha na transmissão de oxigénio foi avaliado sem considerar a interface vidro/rolha. Não foi percetível o efeito de compressão de rolha (com 23% de pressão, correspondendo ao nível de compressão de rolha num gargalo de vinhos tranquilos) no coeficiente da difusão efetiva de oxigénio. O valor médio do coeficiente da difusão efetiva é igual a 10-8 m2 s-1, com uma distribuição estatística abrangendo de 10-10 a 10-7 m2 s-1, que é da mesma ordem de grandeza de uma rolha não comprimida.

Assim, a transferência de oxigénio através de rolha comprimida num gargalo de vidro foi determinada para avaliar o efeito da interface vidro/rolha. No caso particular de uma difusão de gradiente imposto de oxigénio através do nosso modelo de sistema de gargalo rolhado com rolha de cortiça (rolha seca sem tratamento superficial; 200 e ~0 hPa de oxigénio em ambos os lados da amostra), a média da difusão efetiva foi de 5 x 10-7 m2 s-1, salientando a possível importância do papel da interface vidro/vedante na transferência de oxigénio.

Recomenda-se a leitura integral do texto original em (ler mais)