As concentrações de importantes aromas voláteis da madeira como o guaiacol, o 4-metilguaiacol de lactona sob a forma *cis*- e *trans* e a vanilina, em aparas de carvalho francês e americano aquecidas sob várias condições, foram medidas efectuando análises de diluição de isótopos estáveis em simultâneo por cromatografia gasosa/espectrofotometria de massa. O calor levou a aumentos significativos da concentração de guaiacol e 4-metilguaiacol, com maior formação a altas temperaturas. Formou-se aproximadamente o dobro de guaiacol e de 4-metilguaiacol e 2 a 5 vezes mais vanilina pelo calor na presença de ar, comparando com o calor na presença de árgon. A concentração em lactona foi menos afectada pelo calor. Os efeitos do aquecimento, em aparas de carvalho com diferentes dimensões, foram investigados em amostras francesas e americanas. Comparado com o aquecimento de aparas de carvalho maiores, o aquecimento de aparas mais pequenas gerou mais do dobro de guaiacol e de 4-metilguaiacol e duas a 4 vezes mais vanilina a 235ºC, tanto para o carvalho francês como para o americano. Este efeito deve-se à exposição de uma grande superfície de carvalho ao ar quando as aparas mais pequenas foram aquecidas. Efeitos variáveis foram observados para a lactona sob a forma *cis*- e *trans*. Variações no tamanho das aparas, assim como o tempo e a temperatura do aquecimento, são claramente uma maneira de obter diferentes tipos de aromas em aparas de carvalho. Aconselhamos a leitura integral do artigo. Título original: The effects of size, temperature and air contact on the outcome of heating oak fragments.