Os viticultores e enólogos podem produzir vinhos cujos gostos e aromas sejam positivamente apreciados pelos consumidores durante uma prova cega, mas resta saber se as propriedades sensoriais influenciam a apreciação, escolha e intenção de voltar a comprar o vinho do consumidor na presença de atributos relacionados com o marketing como a marca, a embalagem, a região e o preço. Enquanto os testes tradicionais do consumidor se concentram principalmente na sua avaliação sensorial baseado em provas cegas, na realidade a maioria dos consumidores bebem e avaliam o vinho conhecendo a sua informação, tendo conhecimento do preço e das informações presentes no rótulo. Qual é o impacto relativo dos atributos sensoriais e de marketing quando os consumidores bebem o vinho num cenário realista onde os atributos sensoriais se cruzam com as características de marketing? Para fornecer as respostas a estas questões anunciamos os resultados de uma experiência a duas etapas realizada com vinhos australianos Shiraz, simulando o momento em que o consumidor escolhe um vinho da prateleira, prova o vinho e toma uma decisão de compra.

Documentos anexados
Páginas relacionadas:​