italianoenglishfrançaisdeutschespañolportuguês
Idioma
Pesquisa do site
  • » Análises
  • » REVISÃO: ELEMENTOS CONTAMINANTES NOS VINHOS

REVISÃO: ELEMENTOS CONTAMINANTES NOS VINHOS

S. Catarino1.2,*, A.S. Curvelo-Garcia 1, R. Bruno de Sousa2

Artigo publicado na revista Ciência e Técnica Vitivinícola, Volume 22, N2, 2007, editada pelo Instituto Nacional de Recursos Biológicos, IP, INIA – Ex – Estação Vitivinícola Nacional. Aproximadamente dez anos após a primeira revisão bibliográfica crítica dos autores sobre a presença de metais contaminantes no vinho, o tema mantém-se actual à sua importância no âmbito tecnológico, de segurança alimentar e legal. Futuros desenvolvimentos na área da toxicologia, métodos de análise, assim como no comércio internacional, vão certamente conduzir a alterações na regulamentação presente. A preocupação crescente com a segurança alimentar do vinho resultará provavelmente no alargamento da lista de elementos a controlar, bem como na alteração dos termos em que os limites máximos admissíveis são estabelecidos. Este artigo, baseado no capítulo de introdução de uma tese de doutoramento, apresenta uma breve abordagem à composição mineral do vinho, seguindo-se a caracterização do vasto conjunto de elementos contaminantes dos vinhos (informação também sistematizada sobre a forma de quadro), incluindo resultados de investigação obtidos pelos autores. Aspectos tais como a origem, níveis de ocorrência, evolução ao longo dos processos tecnológicos, fontes de contaminação, distribuição sob diferentes formas químicas, toxicidade, determinação analítica e limites legais, variam consideravelmente com o elemento em apreciação. 1Estação Vitivinícola Nacional 2Instituto Superior de Agronomia, Departamento de Química Agrícola e Ambiental, Tapada da Ajuda, 1349-017 Lisboa, Portugal * Autor para correspondências: Sofia Catarino, Estação Vitivinícola Nacional / INRB, 2565-191 Dois Portos, Portugal Aconselhamos a leitura do texto integral. Título original: Contaminant elements in wines: a review

Publicado em 03/06/2008
Páginas relacionadas
    Medir o potencial hídrico: quando, onde e qual a razão
    Luis Gonzaga Santesteban García, Universidad Pública de Navarra, Espanha
    O potencial hídrico é considerado a medida de referência para a determinação do estado hídrico das plantas. No entanto, na medição do potencial hídrico da videira, não é consensual a escolha da mel...
    Preço:27 €(IVA incluído)
    Publicado em:24/04/2021
    Cor do vinho: 5 conselhos práticos para melhorar sua estabilidade
    Antonio Morata, Universidad Politécnica de Madrid
    Como antocianinas são os pigmentos responsáveis pelo cor do vinho. No entanto, em condições enológicas, não são estáveis e a sua evolução durante a fermentação, estabilização e envelhecimento influ...
    Preço:47 €(IVA incluído)
    Publicado em:26/01/2021
    Oxigénio e enxofre na produção de vinho
    Vicente Ferreira, LAAE, Universidad de Zaragoza
    70% dos vinhos apresentam, sem sinais óbvios, os aromas que vão provocar a sua degradação aromática no momento em que o nível de SO2 livre diminui. Estes são essencialmente duas moléculas aromática...
    Preço:27 €(IVA incluído)
    Publicado em:10/07/2019
    BRETTANOMYCES: AS CÉLULAS VNC SÃO PERIGOSAS?
    Lucile PIC e Jacques MATHIEU ; GIE ICV VVS
    Com a finalidade de ajudar os enólogos na escolha do método de análise melhor adaptado para a prevenção da formação de fenóis voláteis e notas “animais” nos vinhos, comprometemo-nos, at...
    Publicado em:30/05/2017
    Bénédicte Pineau, Jean-Christophe Barbe, Cornelis Van Leeuwen, and Denis Dubourdieu, J. Agric. Food Chem., 55 (10), 4103 -4108, 2007
    A β Damascenona, um composto norisoprenoide, em C-13 é habitualmente apresentada como tendo um impacto no aroma dos vinhos tintos. Foi estudada a sua contribuição directa no perfil organolépti...
    Publicado em:06/05/2008
    FOSS apresentou na SIMEI 2007 um aparelho – baseado na tecnologia FTIR – com capacidade para determinar em poucos minutos álcool, açúcares, acidez total, pH e ácido málico. O aparelho foi optimizad...
    Publicado em:20/04/2008
© Todos os direitos reservados
VAT: IT01286830334
ISSN 1826-1590
powered by Infonet Srl Piacenza
- A +
ExecTime : 3,015625