italianoenglishfrançaisdeutschespañolportuguês
Idioma
Pesquisa do site
  • » Outros
  • » Opinioni
  • » O VINHO SEGUNDO A VINEXPO… por Matteo Marenghi

O VINHO SEGUNDO A VINEXPO… por Matteo Marenghi

Matteo Marenghi

Os prognósticos de evolução da Vinexpo não previam que a actual crise económica mundial provocasse consequências profundas até 2012. Assim, as observações sobre os volumes globais não acrescentaram nenhuma informação de relevo em relação aos diferentes segmentos de preço. A Inglaterra continua a ser o primeiro mercado em valor relativamente à totalidade do volume de vinho comprado e os Estados Unidos continuam a ocupar o primeiro lugar em termos de totalidade de volume de vinho consumido. Numerosas edições da Vinexpo - o Salão Internacional de Vinho e de Bebidas Alcoólicas de Bordéus - são precedidas de um estudo sobre a evolução mundial do sector, realizado pela empresa ISWR sediada em Londres: produção, consumo, volume de vendas e tendências relativas a 28 países produtores e 114 mercados foram estudados. Este estudo deu origem a um grande número de informações (apresentadas primeiro em Milão, Itália, durante um encontro organizado pelo “Saloni Francesi”), que são ainda mais interessantes este ano, uma vez que foram realizados em plena crise do sector e durante o profundo abalo, da economia mundial. É evidente que 2009 será um ano atípico e as repercussões da crise no consumo de vinho terão de ser verificadas: o estudo não é todavia concentrado na situação contingente, mas antes procurou estender as suas projecções de 2007 até 2012. Estes últimos mostram que a crise económica actual não terá graves consequências no mercado do vinho. Comentando as previsões de crescimento do consumo de 6% entre 2008 e 2012, o Director da Vinexpo, M. Robert Beynat, declarou que o estudo previa valores superiores a 6%, mas que eles tinham sido minorados como medida de prudência. O que é certo é que a crise atinge pelo menos dois parâmetros: os operadores comerciais não constituem “stocks” e os circuitos de distribuição devem estar equipados para rapidamente reorientar quantidades de vinho umas vezes reduzidas outras vezes abundantes. O fenómeno de concentração mundial dos distribuidores e dos grossistas que está já a decorrer acelera-se e acentua a necessidade que as empresas têm de fazer parte de circuitos comerciais eficazes. Alguns pontos-chave do estudo são seguidamente apresentados. Contudo, é importante manter a ideia de que estes resultados nem sempre correspondem a factos consolidados e que existe uma “onda” evidente de optimismo desde que estes estudos foram apresentados e divulgados no sector do vinho, para seu próprio benefício! Entre 2003 e 2007, a produção mundial de vinho aumentou 1,8% e entre 2008 e 2012 este crescimento continuará a registar-se (+3,8%, ou seja colocando a produção em 3 mil milhões de caixas). Actualmente 52,6% do total dos volumes produzidos são provenientes de França, Itália e de Espanha, mas prevê-se que venha a registar-se uma diminuição nesta distribuição. O consumo mundial atingiu 2,6 mil milhões de caixas em 2007 e apesar da situação actual ser um pouco incerta, está prevista a continuação do crescimento até 2012 (2,8 mil milhões de caixas). Em 2007, o consumo de vinho tranquilo em Itália atingiu 299 milhões de caixas, ultrapassando pela primeira vez a França. O estudo prevê que em 2012 os Estados Unidos da América serão o primeiro país consumidor do mundo com 313 milhões de caixas. A Rússia (70 milhões de caixas) e a China (64 milhões) irão ocupar o 8º e o 9º lugares respectivamente (2007). O consumo per capita de vinho também irá aumentar, apenas 6 países (França, Suíça, Portugal, Áustria, Argentina e a Espanha) registaram uma diminuição do consumo per capita entre 2003 e 2007. O total de vendas de vinho (preço ao consumidor final) atingiu 150 mil milhões de dólares em 2007. Prevê-se que este número aumente 8,9% entre 2008 e 2012 para estabilizar em 166 mil milhões de dólares. No entanto, este crescimento será mais fraco no período 2008-2012, com uma previsão de crescimento anual de 1,8%. Com 21,8 mil milhões de dólares gastos em 2007, os americanos são líderes, em valor, em compras de vinho tranquilo. Uma em cada 4 garrafas consumidas no mundo é “importada” e em 2012 prevê-se que o número aumente (711 milhões de caixas + 12,5% em relação a 2008). Em 2007, o Reino Unido tornou-se no primeiro país consumidor de vinho importado no mundo, destronando assim a Alemanha. A Itália, com 170 milhões de caixas exportadas em 2007, conseguiu ser em contrapartida o maior exportador em quantidade, mas em termos de valor, a França manteve de forma sólida o primeiro lugar, com 9 mil milhões de dólares.
Publicado em 11/05/2009
Páginas relacionadas
    “PORTUGAL. A MINHA PRIMEIRA ESCOLHA”……… TAMBÉM NOS VINHOS
    Marco RODRIGUES, AEP, marodrigues@aeportugal.com
    A viticultura portuguesa representa aproximadamente 50% do setor agrícola nacional, regista cerca de 13.000 empresas em exercício e produz cerca de 7,2 milhões de hectolitros de vinho, cujas receit...
    Publicado em:13/01/2011
    Gianni Trioli, VINIDEA Itália
    Nos últimos tempos são frequentemente realizados congressos, artigos e discussões sobre as alterações climáticas. Recentemente, foram organizados dois congressos em Zaragoza, o XIX Encontro Científ...
    Publicado em:28/06/2007
    Gianni Trioli, VINIDEA ITÁLIA
    Depois do interesse demonstrado pela 1ª edição em 2006, foi anunciada há algumas semanas a II Conferência Internacional sobre Alterações climáticas e Vinho, que terá como convidado especial Al Gore...
    Publicado em:23/11/2007
    Jamie Goode, Jornalista, Londres
    Ler o futuro numa bola de cristal é algo que não está ao alcance de todos. Além disso, alguém que tenha um talento real para o fazer, não terá necessidade de voltar a trabalhar. Torna-se, assim, di...
    Publicado em:12/02/2008
    ONDE ESTÁ PORTUGAL?...por Paulo Ramos
    Viagem de estudo | Hong Kong e China, Vinho e Mercado | 24 Maio – 2 de Junho de 08
    Foi com muito prazer que acedi ao pedido da VINIDEAs para escrever o artigo que se segue. Inicialmente, pensei em fazer uma descrição pormenorizada de toda a viagem: descrever a realidade vitiviníc...
    Publicado em:26/06/2008
    SEMINAR SPEAKER infowine.forum: A NECESSIDADE DE INOVAÇÃO NO SETOR DO VINHO DO PORTO
    Adrian Bridge | The Fladgate Partnership (apresentado no infowine.forum 2012)
    O setor do vinho do Porto encontra-se numa encruzilhada. Esta situação já era previsível há dez anos; era inevitável mas apresenta várias alternativas. Porque é que era previsível? O consumo de vin...
    Publicado em:13/07/2012
© Todos os direitos reservados
VAT: IT01286830334
ISSN 1826-1590
powered by Infonet Srl Piacenza
Política de privacidade
Este site utiliza cookies que são necessários para a finalidade descrita na política de cookies. Se quiser saber mais sobre cookies, consulte a política de cookies. Ao fechar este banner e ao navegar nesta página, clicando num link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, está a concordar com o uso e política de cookies.
Mais informaçãoOK

- A +
ExecTime : 1,453125